Campeonato Nacional de Trail Ultra/Trilhos dos Abutres – Comunicado

Decorre das competências da ATRP a atribuição de títulos nacionais, por delegação da Federação Portuguesa de Atletismo, membro da World Athletics, entidade máxima reguladora do trail mundial.

No âmbito destas competências, e por ser a ATRP uma Associação de Atletas, Equipas e Organizadores de provas de Trail, decidiu a sua Direção, atribuir à prova Trilhos dos Abutres a organização da prova Campeonato Nacional de Trail Ultra referente à época atual.

Assim, face aos acontecimentos que ocorreram durante a referida prova, cabe-nos esclarecer as decisões tomadas e a sua sustentabilidade jurídica e/ou estatutária:

  • A arbitragem da prova foi assegurada por 2 elementos da ATRP na linha de partida e chegada + 3 elementos da organização no controlo zero. No plano delineado com a Direção de Prova e comunicado no Briefing, foi decidido verificar alguns itens de material obrigatório, preferencialmente de segurança. Foi ainda definido pelos árbitros que seria feito um controlo de material após os atletas cruzarem a linha de meta, controlo esse apenas para os primeiros classificados de cada uma das distâncias;
  • O controlo zero decorreu sem incidentes, tendo todos os atletas partido com material verificado;
  • No controlo final, vários atletas não transportavam todo o material ou, no caso dos reservatórios de água, não apresentavam recipientes com capacidade exigida.
  • Todas as inconformidades foram comunicadas à organização, incluindo todas as justificações dadas pelos visados (atletas) e interpretação de comunicação do organizador, ora na própria web page, ora em páginas de redes sociais;
  • Para a tarefa de arbitragem, a ATRP designou 2 árbitros credenciados para a função, que analisaram o regulamento, submetido anteriormente à aprovação na plataforma my.atrp e devidamente adequado às exigências de segurança ou características de perfil de prova pretendidos, e que com base neste pautaram a sua atuação. À Direção de Prova, também à luz daquele regulamento coube a decisão de aplicação ou não, de penalizações definitivas (desclassificação), numa competência exclusiva sua.

As infrações verificadas foram, maioritariamente:

  • Nos 30 Km – ausência de Corta-vento. A organização decidiu não penalizar estes atletas por ter erradamente comunicado os itens obrigatórios sem fazer referência a esta peça.
  • Nos 50 Km – insuficiente capacidade de reservatórios de água, conforme imposição de Regulamento, que referia textualmente “Depósito de água com capacidade mínima de 1 Litro”. Numa interpretação linear deste item, a organização reconheceu que teriam de ser desclassificados todos os atletas que não tivessem 1 depósito com esta capacidade, não podendo, à luz do articulado neste Regulamento, aceitar 2 “soft-flasks” como 1 reservatório de 1 litro, já que o regulamento não o previa. Aceitando estes artigos, que perfizessem juntos pelo menos 1 Litro, teriam de ser aceites todos os objetos que fossem eventuais depósitos de água.

Reunida a Direção de prova junto com o representante dos árbitros e 3 atletas (convocados para discutir esta mesma decisão), decidiu o organizador em consonância com os regulamentos, da prova e o de arbitragem, e à luz de uma competência exclusivamente sua, não penalizar nenhum dos atletas controlados na linha de meta, por concluir que nunca teria estado em causa a verdade desportiva ou a segurança de outros atletas em competição, e por assumir que os erros de interpretação decorreram de imprecisões das sucessivas comunicações. A ATRP tem de aceitar esta decisão, por serem da exclusiva competência das organizações as decisões finais relativas às sanções a aplicar.

A ATRP, solidária com os seus árbitros, repudia com veemência as reações inaceitáveis que algumas pessoas tiveram contra aqueles no desenrolar do cumprimento das funções que asseguraram com competência.

Assim, e no seguimento destes acontecimentos, a ATRP tomará todas as medidas necessárias para o bom desenrolar das competições nacionais, sempre em estreita colaboração com os organizadores que as integram, aconselhando e promovendo o envio em data o mais aproximadamente possível do evento de um “Guia do Atleta”, onde constem os itens adequados para as condições meteorológicas expectáveis para o dia, reforçando sempre a necessidade de cada um se fazer acompanhar do material adequado como medida de precaução para si próprio, ou essencial para o socorro de outrem.

       

Sobre o Autor

Ultimas Notícias

 
ANDRÉ RODRIGUES E INÊS JOÃO VENCEM CAMPEONATO NACIONAL DE TRAIL ULTRA
Prova de 55 quilómetros de corrida a pé na natureza realizou-se em Sever de Vouga, num percurso com cerca de 2.500 metros de desnível positivo EDV – Viana Trail e Saca Trilhos Anadia triunfaram por equipas Trail running é uma das modalidades em maior crescimento a nível mundial, inclusive em Portugal onde se estimam mais
Filiação, época desportiva 22/23 e Campeonatos Nacionais
Filiação na FPAA Federação Portuguesa de Atletismo (FPA) e ATRP – Associação de Trail Running de Portugaltêm vindo a aprofundar as suas relações institucionais e desportivas, promovendo a totalintegração do trail no seio do atletismo ao mesmo tempo que reconhece a ATRP comoentidade responsável pela disciplina.Fruto do trabalho desenvolvido nos últimos meses, os atletas inscritos
22 Portugueses no Mundial de Montanha e Trail Running
Portugal participa na primeira edição do Campeonato Mundial de Montanha e Trail Running, que se realizará de 3 a 6 de novembro em Chiang Mai, na Tailândia. Este Mundial junta, pela primeira vez, a corrida em montanha e o trail running, e para representar o nosso país a Federação Portuguesa de Atletismo convoca 22 atletas
Circuitos e Campeonatos Nacionais – Época 2022/2023
Está aberto e a decorrer em my.atrp.pt o período de certificação de provas para a época 2022/2023. Todas as provas cujo pedido de certificação seja requerido até 30 de Setembro serão consideradas candidatas aos circuitos. As provas selecionadas serão contactadas até 15 de Outubro a fim de subscreverem os critérios de integração, sendo o calendário
Seleção Nacional de Trail – Bruno Sousa convocado
Devido a lesão, o atleta André Rodrigues não poderá dar o seu contributo à seleção nacional no mundial que decorrerá na Tailândia no próximo mês de Novembro.Após analisar os resultados dos atletas nos campeonatos nacionais da distância em que o atleta iria participar, a Direção Técnica da ATRP em conjunto com o selecionador nacional, decidiram
Seleção Nacional de Trail – Carlos Ferreira convocado
Devido a lesão, o atleta Luís Duarte não poderá dar o seu contributo à seleção nacional no mundial que decorrerá na Tailândia no próximo mês de Novembro.Após analisar os resultados de atletas na distância de Ultra Endurance, a Direção Técnica da ATRP, em conjunto com o selecionador nacional, decidiram convocar em seu lugar o atleta