Campeonato Nacional de Trail Ultra/Trilhos dos Abutres – Comunicado

Decorre das competências da ATRP a atribuição de títulos nacionais, por delegação da Federação Portuguesa de Atletismo, membro da World Athletics, entidade máxima reguladora do trail mundial.

No âmbito destas competências, e por ser a ATRP uma Associação de Atletas, Equipas e Organizadores de provas de Trail, decidiu a sua Direção, atribuir à prova Trilhos dos Abutres a organização da prova Campeonato Nacional de Trail Ultra referente à época atual.

Assim, face aos acontecimentos que ocorreram durante a referida prova, cabe-nos esclarecer as decisões tomadas e a sua sustentabilidade jurídica e/ou estatutária:

  • A arbitragem da prova foi assegurada por 2 elementos da ATRP na linha de partida e chegada + 3 elementos da organização no controlo zero. No plano delineado com a Direção de Prova e comunicado no Briefing, foi decidido verificar alguns itens de material obrigatório, preferencialmente de segurança. Foi ainda definido pelos árbitros que seria feito um controlo de material após os atletas cruzarem a linha de meta, controlo esse apenas para os primeiros classificados de cada uma das distâncias;
  • O controlo zero decorreu sem incidentes, tendo todos os atletas partido com material verificado;
  • No controlo final, vários atletas não transportavam todo o material ou, no caso dos reservatórios de água, não apresentavam recipientes com capacidade exigida.
  • Todas as inconformidades foram comunicadas à organização, incluindo todas as justificações dadas pelos visados (atletas) e interpretação de comunicação do organizador, ora na própria web page, ora em páginas de redes sociais;
  • Para a tarefa de arbitragem, a ATRP designou 2 árbitros credenciados para a função, que analisaram o regulamento, submetido anteriormente à aprovação na plataforma my.atrp e devidamente adequado às exigências de segurança ou características de perfil de prova pretendidos, e que com base neste pautaram a sua atuação. À Direção de Prova, também à luz daquele regulamento coube a decisão de aplicação ou não, de penalizações definitivas (desclassificação), numa competência exclusiva sua.

As infrações verificadas foram, maioritariamente:

  • Nos 30 Km – ausência de Corta-vento. A organização decidiu não penalizar estes atletas por ter erradamente comunicado os itens obrigatórios sem fazer referência a esta peça.
  • Nos 50 Km – insuficiente capacidade de reservatórios de água, conforme imposição de Regulamento, que referia textualmente “Depósito de água com capacidade mínima de 1 Litro”. Numa interpretação linear deste item, a organização reconheceu que teriam de ser desclassificados todos os atletas que não tivessem 1 depósito com esta capacidade, não podendo, à luz do articulado neste Regulamento, aceitar 2 “soft-flasks” como 1 reservatório de 1 litro, já que o regulamento não o previa. Aceitando estes artigos, que perfizessem juntos pelo menos 1 Litro, teriam de ser aceites todos os objetos que fossem eventuais depósitos de água.

Reunida a Direção de prova junto com o representante dos árbitros e 3 atletas (convocados para discutir esta mesma decisão), decidiu o organizador em consonância com os regulamentos, da prova e o de arbitragem, e à luz de uma competência exclusivamente sua, não penalizar nenhum dos atletas controlados na linha de meta, por concluir que nunca teria estado em causa a verdade desportiva ou a segurança de outros atletas em competição, e por assumir que os erros de interpretação decorreram de imprecisões das sucessivas comunicações. A ATRP tem de aceitar esta decisão, por serem da exclusiva competência das organizações as decisões finais relativas às sanções a aplicar.

A ATRP, solidária com os seus árbitros, repudia com veemência as reações inaceitáveis que algumas pessoas tiveram contra aqueles no desenrolar do cumprimento das funções que asseguraram com competência.

Assim, e no seguimento destes acontecimentos, a ATRP tomará todas as medidas necessárias para o bom desenrolar das competições nacionais, sempre em estreita colaboração com os organizadores que as integram, aconselhando e promovendo o envio em data o mais aproximadamente possível do evento de um “Guia do Atleta”, onde constem os itens adequados para as condições meteorológicas expectáveis para o dia, reforçando sempre a necessidade de cada um se fazer acompanhar do material adequado como medida de precaução para si próprio, ou essencial para o socorro de outrem.

       

Sobre o Autor

Ultimas Notícias

 
Comunicado
Na sequência das últimas orientações emitidas pela Direção-Geral da Saúde (DGS) relativas, entre outras, à realização de eventos desportivos no contexto do COVID-19, decidiu a ATRP reunir extraordinariamente com Organizadores e Gestores de Equipas associados, reunião antecedida por uma outra dos Órgãos Sociais desta Associação. No seguimento destas reuniões, concluiu-se: adiamento por 1 mês, por
Convocatória Assembleia Geral
Convocatória Ana Luisa Xavier Soares, na qualidade de Presidente da Mesa da Assembleia-Geral da ATRP – Associação de Trail Running de Portugal, de acordo com os estatutos e nos termos do disposto no seu artigo 22.º convoca todos os associados para se reunirem em Assembleia Geral Ordinária no próximo dia 18 de Março de 2020,
Campeonato Nacional de Trail Ultra/Trilhos dos Abutres – Comunicado
Decorre das competências da ATRP a atribuição de títulos nacionais, por delegação da Federação Portuguesa de Atletismo, membro da World Athletics, entidade máxima reguladora do trail mundial. No âmbito destas competências, e por ser a ATRP uma Associação de Atletas, Equipas e Organizadores de provas de Trail, decidiu a sua Direção, atribuir à prova Trilhos
Renovação de Quota 2019/2020
A ATRP informa que estão a decorrer as renovações de quota de associado e seguro desportivo para a época 2019/20. Renovação > http://atrp.pt/renovacao-de-quotas/ Nova inscrição > https://my.atrp.pt/ A ATRP é a entidade responsável por: > Certificação de Provas > Circuitos nacionais (Trail, Trail Ultra e Trail Ultra Endurance) > Campeonatos de (Trail, Trail Ultra e Trail Ultra
Seleção Nacional apoiada pela Prozis com linha X-Motion
A Gama X-Motion da marca Prozis, lançada no mercado no passado mês de fevereiro foi a escolhida pela FPA/ATRP para vestir a armada lusa no Mundial de Trail Running.  Esta, foi desenvolvida especificamente para o Trail Running, em colaboração com vários atletas de alto desempenho de diferentes países ao longo de todas as fases de desenvolvimento
Seleção Nacional prepara o Campeonato em Melgaço
A Seleção Portuguesa de Trail Running esteve, no fim de semana passado, a preparar o primeiro estágio da época, no Centro de Estágios em Melgaço e ficou a conhecer os trilhos e paisagens deste concelho. O Selecionador Nacional José Carlos Santos afirma que a escolha foi feita devido às fantásticas condições do centro de alto